Postado por
Saúde e cilcismo

Saúde mental é coisa séria. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), quase 6% dos brasileiros, aproximadamente 11,5 milhões de pessoas, sofrem de depressão. Abordar o assunto de maneira objetiva e com naturalidade, ajuda a derrubar o estigma social que cerca estas pessoas. Recuperar a qualidade de vida passa também pelo esporte. E o ciclismo pode ser um grande amigo nessa jornada.

O esporte é uma ferramenta que ajuda a aliviar o estresse e a equilibrar as emoções. Uma das melhores atividades para isso é o ciclismo. A superação dos limites e o ventinho no rosto são ótimos para uma injeção imediata de ânimo. Aí vão outros seis motivos para que o pedal se torne um companheiro fiel em momentos difíceis.

1. Hormônios da felicidade

Ao pedalar, o corpo libera endorfina, um dos hormônios relacionados ao bem-estar. Eles melhoram o humor, diminuem o estresse e a ansiedade num piscar de olhos. Além disso, como o ciclismo é um esporte intenso, também dispara a adrenalina, outro hormônio relacionado ao estresse. E há um lado bom nisso. Ao causar essa reação, o esporte ensina o organismo a lidar com essas descargas de tensão. Assim, o corpo entende que é possível manter o estresse sob controle em outras situações.
Leia mais: Há modalidade fitness ideal? Defina objetivo e escolha

2. Uma paisagem dessas, bicho!

A calma e serenidade antes se jogar na trilha. Entrar em contato com a natureza só faz bem – tanto para o corpo, quanto para a mente. Diversas pesquisas afirmam que estar em contato com a natureza melhora o humor, inclusive é um tipo de tratamento terapêutico: a ecoterapia. A terapia normalmente é associada ao atendimento pessoal ou em grupo, mas evidências afirmam que há bons resultados nos casos de depressão, de acordo com uma matéria do jornal britânico “The Guardian”. Deixe a estrada de lado e vá para o time dos mountain bikers que praticam o esporte nas montanhas e nas trilhas no meio da floresta.

3. Questão de perspectiva

Pessoas que estão sempre com a cabela cheia de coisas têm dificuldade analisar o grande cenário e não só os detalhes de um problema. Subir uma montanha e lá de cima observar a vista, automaticamente coloca tudo em perspectiva. As árvores enormes ou a estrada extensa ficam pequenos lá de cima. Esse é um bom exercício para nos lembrar que fazemos parte de um todo e o mundo não gira ao nosso redor.

4. Te ajuda a meditar

Meditação pode ser definido como uma prática individual de foco em um objeto, pensamento ou atividade específica. Durante o pedal, deixe o corpo assumir a direção e se concentre na respiração. Quando a mente viajar, traga o pensamento novamente para o presente. A primeira dica de Marcelo Maia, facilitador de Mindfulness da equipe de natação do Esporte Clube Pinheiros e sócio do estúdio Moved by Mindfulness, é não tentar controlar os pensamentos, isso só vai causar desgaste mental. “Aceite que, principalmente no começo, é difícil lidar com o vai e vem de emoções e com o fluxo mental. Isso é natural”.

5. Resgata a autoconfiança

Quem sofre com de ansiedade crônica enfrenta altos e baixos. Há dias ótimos, às vezes, até meses, em que a autoconfiança tá lá em cima. Quando menos se espera, a ansiedade te dá um nocaute. Mas à medida que sua força, habilidade e resistência aumentam com a prática de atividades físicas, a autoimagem também melhora. Cada cem metros a mais na trilha já uma baita conquista.

6. Injeção de ânimo

Uma das piores consequências das doenças mentais é o quanto a alegria de viver vai se apagando. Ter algo para se apegar como o encontro com o pessoal do pedal ou uma ciclo viagem é um estímulo e tanto para seguir em frente! Uma vez que você sente aquele banho de endorfinas pelo corpo, a sensação de liberdade e o ventinho no rosto, acredite, os dias ganham mais cor e leveza.

 

Fonte: redebull.com